Antes de tomar uma decisão de investimento, os potenciais investidores devem considerar cuidadosamente todas as informações disponíveis neste website, em especial os riscos mencionados abaixo. Os negócios, situação financeira e resultados de operações da Trisul podem ser adversa e materialmente afetados por quaisquer desses riscos e, por conseguinte, impactar negativamente os títulos emitidos pela Companhia. Os riscos descritos abaixo são aqueles conhecidos pela Trisul e que acredita-se podem afetar de maneira relevante a Companhia. Riscos adicionais não conhecidos pela Trisul ou irrelevantes também podem afetar os seus negócios.

1) Riscos Relacionados a Fatores Macroeconômicos
  • o Governo Federal exerceu e continua a exercer influência significativa sobre a economia brasileira. Essa influência, bem como a conjuntura econômica e política brasileira, poderá vir a causar um efeito adverso relevante nas suas atividades e no preço de mercado das ações de sua emissão;
  • a inflação e os esforços do Governo Federal de combate à inflação podem contribuir significativamente para a incerteza econômica no Brasil, podendo prejudicar as atividades da Trisul e o valor de mercado das suas Ações;
  • acontecimentos políticos, econômicos e sociais e a percepção de riscos em outros países, sobretudo em países de economia emergente, podem prejudicar o preço de mercado dos valores mobiliários brasileiros, inclusive das Ações da Companhia;
  • a instabilidade cambial pode prejudicar a economia brasileira, bem como o preço de mercado das Ações da Trisul;
  • o aumento das taxas de juros pode causar efeito prejudicial à economia brasileira, aos negócios e resultados operacionais da Companhia.

 


2) Riscos Relacionados ao Setor Imobiliário
  • a Trisul está exposta a riscos associados à incorporação imobiliária, construção, locação e venda de imóveis;
  • o declínio da atividade econômica do Brasil pode prejudicar o crescimento do setor imobiliário como um todo, por meio da desaceleração da economia, aumento da taxa de juros, flutuação da moeda e instabilidade política, além de outros fatores;
  • a Trisul pode ser impedida no futuro, em decorrência de nova regulamentação ou de condições de mercado, de corrigir monetariamente seus recebíveis de acordo com certas taxas de inflação, conforme atualmente permitido, o que poderia tornar seus projetos inviáveis financeira ou economicamente;
  • o grau de interesse de um comprador por um novo projeto lançado ou o preço de venda por Unidade necessário para vender todas as Unidades de um dos empreendimentos da Trisul podem ficar abaixo do esperado, fazendo com que o projeto se torne menos lucrativo do que o esperado;
  • na hipótese de falência ou dificuldades financeiras significativas de uma grande empresa do setor imobiliário, o setor como um todo pode ser afetado quanto à sua reputabilidade, o que poderia causar uma redução, por parte dos clientes, da confiança em outras empresas que atuam no setor;
  • condições locais ou regionais do mercado imobiliário, tais como o excesso de oferta de empreendimentos em certa região ou em alguns segmentos do mercado, podem diminuir a demanda por projetos de empreendimentos não alinhados com as condições de tais mercados;
  • a Companhia corre o risco de compradores terem uma percepção negativa quanto à segurança, conveniência e atratividade de seus empreendimentos e das áreas onde estes estão localizados;
  • as margens de lucros da Companhia podem ser afetadas adversamente em decorrência de um aumento em seus custos operacionais, incluindo aumentos de custo de capital, prêmios de seguro, tributos imobiliários e tarifas públicas;
  • a falta de disponibilidade de terrenos para novas oportunidades de incorporação dos empreendimentos da Companhia pode ter efeito adverso relevante sobre suas estratégias de negócios;
  • a Companhia pode ser incapaz de implementar, com sucesso, a estratégia de repasse de seus recebíveis após a conclusão de seus empreendimentos para instituições financeiras e companhias securitizadoras e, portanto, diminuir seu capital de giro disponível para novos projetos;
  • a construção e a venda das Unidades dos empreendimentos da Companhia podem não ser concluídas dentro do cronograma, o que pode gerar um aumento dos custos de construção ou a rescisão dos contratos de venda inicialmente planejados;
  • mudanças nas políticas do CMN com relação à aplicação dos recursos do SFH podem reduzir a oferta de crédito para os clientes da Trisul e ter um efeito adverso relevante sobre suas operações;
  • alterações na legislação dos municípios onde são desenvolvidos os empreendimentos podem afetar adversamente a quantidade de Unidades originalmente planejada para lançamento pela Companhia;
  • atrasos na aprovação de projetos pelos órgãos públicos competentes podem comprometer os resultados dos empreendimentos da Companhia;
  • o setor imobiliário no Brasil é altamente competitivo, o que poderá ocasionar uma redução da na participação no mercado da Trisul;
  • a Companhia pode não ter sucesso em empreendimentos realizados fora da região metropolitana de São Paulo;
  • a escassez de recursos no mercado e/ou o aumento na taxa de juros poderá ocasionar uma redução na demanda por imóveis e, conseqüentemente, poderá afetar negativamente o mercado imobiliário e, conseqüentemente, os resultados da Companhia;
  • as atividades das empresas do setor imobiliário estão sujeitas à extensa regulamentação, o que pode aumentar os custos da Trisul, causar dificuldades para o desenvolvimento de determinados empreendimentos ou de outra forma afetar adversamente as suas atividades;
  • o aumento de alíquotas de tributos existentes ou a criação de novos tributos durante o prazo em que os contratos de venda da Companhia estejam em vigor poderão prejudicar de maneira relevante a sua situação financeira e os seus resultados operacionais;
  • o crescimento futuro da Companhia poderá exigir capital adicional, que poderá não estar disponível ou, caso disponível, poderá não ser obtido em condições satisfatórias.

A ocorrência de quaisquer dos riscos acima pode causar um efeito adverso relevante na condição financeira e resultados operacionais da Companhia.


3) Riscos Relacionados à Companhia

 

  • o desenvolvimento de atividades imobiliárias implica riscos normalmente associados à concessão de financiamentos;
  • problemas com os empreendimentos imobiliários da Companhia que escapam do seu controle poderão aumentar suas despesas, prejudicar a sua reputação, bem como sujeitá-la a eventual imposição de responsabilidade civil;
  • a participação da Companhia em SPEs resulta em riscos adicionais, inclusive no que tange a potenciais problemas de ordem financeira e de relacionamento com seus parceiros;
  • a Companhia pode não ser bem sucedida em implementar sua estratégia de crescimento e, ainda, em gerenciar seu crescimento;
  • a Companhia pode ter dificuldades em integrar suas operações;
  • a perda de membros da alta administração da Trisul, ou a sua incapacidade de atrair e manter pessoal adicional para integrá-la, pode ter um efeito adverso relevante sobre a sua situação financeira e resultados operacionais;
  • caso as parcerias da Trisul não sejam bem-sucedidas ou caso a Companhia não consiga manter um bom relacionamento com seus sócios ou parceiros, seus negócios e operações podem ser afetados negativamente;
  • os resultados da Companhia dependem dos recursos disponibilizados por suas Subsidiárias, contudo, a Trisul não pode assegurar que estes recursos serão disponibilizados.

 


4) Riscos Relacionados às Ações da Companhia
  • um mercado ativo e líquido para as Ações da Companhia poderá não se desenvolver, limitando substancialmente sua capacidade de vender suas Ações ao preço e no momento em que desejar;
  • a Companhia não pode garantir que o Preço por Ação será mantido ou incrementado;
  • os interesses dos Acionistas Controladores da Trisul podem ser conflitantes com os interesses dos investidores;
  • a Companhia pode vir a precisar de capital adicional no futuro, por meio da emissão de valores mobiliários, o que poderá resultar em uma diminuição no valor de suas Ações e na diluição da participação do investidor no seu capital social;
  • ao adquirir as Ações, o investidor sofrerá diluição imediata no valor contábil de seu investimento;
  • os detentores das Ações da Companhia podem não receber dividendos ou juros sobre o capital próprio.

 

Última atualização: 5 dezembro, 2018